tera, 22 de agosto de 2017

Brasil no Mundo

Contribuições para a Política Externa Brasileira

receba a newsletter

busca no site

MERCOSUL

1480699979_812056_1480700230_noticia_normal_recorte1

O Mercosul frente a ascensão da direita na América Latina

entrevista com Gilberto Maringoni

Durante reunião extraordinária dos chanceleres do bloco realizada em 14 de dezembro de 2016, a Argentina assumiu presidência pro tempore do Mercosul, posição que corresponderia à Venezuela caso esta não tivesse (...)

CELAG

Mitad del Mundo - Equador, 27/01/2016. Presidenta Dilma Rousseff durante Sessão de abertura da IV Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos - CELAC. Foto: Rafael Carlota/PR

A integração regional em disputa

A alteração na correlação de forças, ausência de instituições de caráter supranacional e falta de complementaridade produtiva marcam o retrocesso da integração regional na América Latina.

Algumas semanas atrás escrevi sobre como a América Latina havia sido convertida na principal região na construção da multipolaridade no Sistema Internacional. Nesta construção, sem dúvida alguma, as novas orientações políticas e econômicas que emanavam do que vinhamos denominando como regionalismo pós-neoliberal possuíam um papel fundamental. Estes processos de integração deviam ajudar a consolidar as grandes mudanças políticas, econômicas e sociais ocorridas durante a última década. No entanto, podemos observar que durante o último ano, os processos de integração regional e concertação política surgidos da orientação política na região durante a última década e meia, também estão em disputa.

VIOLÊNCIA E POLÍTICA

3fde3b166b6d0

Violência, violências: a direita precisa da violência das ruas para exercer a violência que lhe é própria

É evidente que a violência da guerra destruiu a violência do nazismo, mas não só ele. Foi a violência que garantiu a abolição dos escravos nos EUA (...)