tera, 21 de novembro de 2017

Brasil no Mundo

Contribuições para a Política Externa Brasileira

receba a newsletter

busca no site

MERCOSUL

Assunção-Paraguai, 21/12/2015. Presidenta Dilma Rousseff  durante a XLIX Cúpula dos Estados Partes do Mercosul e Estados Associados. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Mercosul: o que vem agora?

O Mercosul corre um sério risco de tornar-se apenas uma via livre para a estratégia das multinacionais e seu futuro depende do percurso político no Brasil.

A tentativa de golpe no Brasil desencadeou um processo que ameaça (...)

GOLPE

Manifestacao dia 210316 Av. Paulista

Conversas nos Corredores da ONU

Um depoimento sobre a complexa tarefa de explicar o Brasil aos estrangeiros

Sair do Brasil é sempre bom, ajuda a refocalizar nossas lentes para um contexto global no qual, claramente, ocorre uma guerra truculenta contra os direitos (...)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) concede entrevista.Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Golpe de Estado no Brasil e retrocesso de Washington na América Latina

Ou os motivos de Serra ser o tipo de pessoa que Washington tão desesperadamente gostaria de ver a cargo da política exterior do Brasil

Está claro que o Poder Executivo do governo dos Estados Unidos favorece o golpe de Estado em curso no Brasil, apesar de haver tido cuidado ao evitar qualquer respaldo explícito. A primeira amostra foi o encontro entre Tom Shannon, o funcionário número 3 do Departamento de Estado dos EUA, e quem sem dúvidas está encarregado de manejar esta situação, junto ao senador Aloysio Nunes, um dos líderes do processo político contra a presidenta Dilma Rousseff no Senado brasileiro, dia 20 de abril. Mediante a celebração desta reunião apenas três dias após a Câmara ter votado a favor da destituição da presidenta Rousseff, Shannon envia um sinal aos governos e diplomatas em toda a região e ao mundo de que para Washington o processo é mais que aceitável. Nunes lhe devolveu o favor ao liderar um esforço (sendo o presidente do Comitê de Relações Exteriores no Senado) para suspender a Venezuela do Mercosul.

GOLPE E POLÍTICA EXTERNA

Brasília - DF, 30/05/2016. Presidenta Dilma Rousseff recebe cumprimentos de populares durante Lançamento do Livro A Resistência ao Golpe de 2016 ..  Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Uma autocrítica necessária: o Brasil do golpe

Ao adquirir baixo perfil na política externa, o governo Rousseff abriu espaço para a consolidação, no governo interino, das tendências que reduzem o protagonismo internacional do Brasil

O Brasil de maio de 2016 é um país em crise na economia, na política e na (...)

GOLPE E POLÍTICA EXTERNA

dilmaobama

‘Não creio em coincidências’, diz analista sobre interesse dos EUA na queda de Dilma

entrevista com Analúcia Danilevicz Pereira

A tentativa de derrubar a chefe de Estado brasileiro, que evolui a passos largos, não está dissociada dos (...)

GOLPE E POLÍTICA EXTERNA

Em discurso na tribuna do Senado, senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).

Sobre golpes, golpistas e diplomacia

Ex-companheiro de Marighella, Aloysio Nunes (PSDB-SP) viajou esta semana aos EUA para, de uma maneira ou outra, negociar a soberania nacional

Quando o Golpe Civil - Militar de 1964 já cumpria quatro anos, os militares (...)

CRISE E AMÉRICA DO SUL

11/04/2016 - Brasília - DF, Brasil - Reunião da Comissão Especial que vai votar o parecer do relator, (foto) dep. Jovair Arantes (PTB-GO), que recomenda a abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff
Data: 11/04/2016. Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados

A crise política do Brasil afeta toda a região

Os países da região devem se esforçar para tratar a democracia como um bem público coletivo

O conjunto de irregularidades e a ausência de fundamento jurídico que (...)

OUTRAS PALAVRAS

Brasília- DF- Brasil- 01/10/2015- Manifestantes jogam patos de borracha no espelho d·água do Congresso Nacional em protesto ao aumento de impostos: Não vou pagar esse pato.Foto: Lucio Bernardo Jr./ Câmara dos Deputados

O Brasil no epicentro da Guerra Híbrida

A marcha em direção à Guerra Híbrida é basicamente sobre a mobilização de algumas famílias ultra ricas, da compra de grandes parcelas do Congresso e do controle dos meios de comunicação

Revoluções coloridas nunca são demais. Os Estados Unidos, ou o Excepcionalistão, estão sempre atrás de atualizações de suas estratégias para perpetuar a hegemonia do seu Império do Caos.

DEMOCRACIA E POLÍTICA EXTERNA

Em defesa da democracia. Não ao golpe!

No caso das relações internacionais, o que está em risco é a concepção de uma política externa altiva e ativa

Nós, integrantes do Grupo de Reflexão sobre Relações Internacionais (GR-RI) e demais signatários, vimos a público nos pronunciar sobre a acirrada crise política e institucional que marca a conjuntura brasileira. A conquista histórica da democracia e o respeito aos direitos humanos são pilares políticos que estabelecem garantias individuais e normas coletivas para a coexistência entre […]

BRASIL-EUA

820582da-b52b-4b0c-8a6a-7a71943951b4

As lições de Juscelino Kubitschek em 1964

Documentos americanos revelam colaboração de ex-presidente com EUA nos dias que antecederam o golpe

No dia 1o de abril de 1964, Lincoln Gordon relatava ao Departamento de Estado: "Encontrei Kubitschek às 21:15 e mandei uma mensagem que aparentemente (...)