domingo, 24 de setembro de 2017

Brasil no Mundo

Contribuições para a Política Externa Brasileira

receba a newsletter

busca no site

PORTAL VERMELHO

000638238-sciolimassa

Eleições na Argentina: dois projetos de política externa em disputa

“Tudo nos une, nada nos separa”, dizia em seu celebre discurso o presidente argentino, Roque Saez Peña (nome de famosa praça no bairro de Noel Rosa, no Rio de Janeiro), realizado em sua visita ao Brasil no ano de 1910. Se bem temos nossas diferenças em temas esportivos, no que se refere ao debate sobre a estratégia de inserção internacional de ambos os países, a convergência tende a ser grande.

Principal vizinho, e parceiro central nas iniciativas de integração regional, a Argentina encontra-se no núcleo da política externa brasileira. O entendimento estratégico entre Argentina e Brasil é o “nó górdio” da integração regional na América do Sul. Conhecer e acompanhar a agenda de debates e as eleições na nação platense, é importante para refletir sobre o Brasil e sua inserção internacional.

IBASE

belomonte

Seminário Internacional debate os 15 anos da IIRSA

No aniversário da Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sul-Americana (IIRSA), é necessário debater uma integração de infraestrutura na América do Sul voltada para os povos

Neste mês (setembro) fazem 15 anos que foi lançado oficialmente a Iniciativa para a Integração da Infraestrutura Regional Sulamericana (IIRSA), sob os auspícios do então presidente do Brasil, Fernando Henrique Cardoso. Para analisar (...)

MATE AMARGO

Leaders, from left to right in the front row, Bolivia's President Evo Morales, Brazil's President Dilma Rousseff, Argentina's President Cristina Fernandez, Uruguay's President Jose Mujica, and Chile's President Sebastian Pñera, wave along side, back row from left to right, Colombia's Foreign Minister Maria Holguin, Suriname's President Desi Bouterse, Ecuador's President Rafael Correa, Peru's President Ollanta Humala, Venezuela's Foreign Minister Nicolas Maduro and Guyana's Foreign Minister Carolyn Rodrigues-Birkett as they pose for a group picture during a gathering by the Union of South American Nations (UNASUR) in Mendoza, Argentina, Friday, June 29, 2012.

Desafios do ciclo progressista na América Latina

A integração regional é um dos pontos cruciais para dar continuidade ao ciclo progressista na região

Atravessamos uma conjuntura singular na América Latina. Em vários países, com governos de forças progressistas, uma combinação de crises políticas e econômicas parece por em questão as conquistas do ciclo pós neoliberal iniciado com o século atual. No entanto, para se ter uma real dimensão do presente, precisamos dar uma olhada para o passado recente. Há 10 anos, em novembro de 2005, na Cúpula das Américas em Mar del Plata, Argentina, por iniciativa dos primeiros governos progressistas da região, era derrotado o projeto de hegemonia estadunidense da Área de Livre Comércio das Américas (ALCA). Se recuamos mais uma década, veríamos que em meados dos anos 1990 o projeto da ALCA era a principal iniciativa lançada pelo governo dos EUA para consolidar sua dominação econômica regional em um contexto onde esse país tinha vencido a Guerra Fria e tentava impor um mundo unipolar. Vinte anos atrás estávamos no auge da globalização neoliberal com os Estados recuando nas economias, o desemprego crescendo, os mercados impondo a precarização do trabalho, os salários reais reduzidos e a pobreza avançando.

REDE BRASIL ATUAL

16062010-16062010WD6257B

Tarifa zero para livre comércio seria o fim do Mercosul, afirma embaixador

Segundo Samuel Pinheiro Guimarães, globalização já mostra o lado negativo desde 2008

O embaixador Samuel Pinheiro Guimarães afirmou ontem (2) que a base da concepção do Mercosul é promover as empresas nacionais nas relações comerciais entre os países membros do bloco. Estipular "tarifa zero"– como defendem alguns críticos do bloco – seria o fim do Mercosul, disse o embaixador, durante o 15º Congresso Internacional do Fórum Universitário Mercosul. “A base do Mercosul é a preferência do capital nacional, se você elimina essa preferência, você elimina o Mercosul, só fica a casca.”

REDE BRASIL ATUAL

Celso Amorim-Eraldo Peres-31052007-AP

Investidas conservadoras ameaçam autonomia da América Latina, diz Amorim

Para ex-ministro de Relações Exteriores, governos populares no continente lidam com ataques ferozes às conquistas sociais e econômicas dos últimos anos

As conquistas sociais e econômicas dos últimos anos em países como Brasil, Venezuela, Bolívia, Uruguai e Argentina estão em risco? A questão foi direcionada ao ex-ministro de Relações Exteriores (governos Itamar e Lula) e ex-ministro da Defesa (governo Dilma) Celso Amorim, durante debate na última terça-feira (25), durante congresso realizado pela Fundacentro, pela Associação Latino-americana de Advogados Trabalhistas (Alal, na sigla em espanhol) e pelo Ministério Público do Trabalho.

CARTA MAIOR

São Paulo- SP- Brasil- 09/04/2015- Ex-presidente Lula e o governador argentino Daniel Scioli. O encontro aconteceu na sede do Instituto Lula, em São Paulo.Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Uma tabelinha entre Lula e Scioli

Para Daniel Scioli, candidato a presidente da Argentina, é necessário 'relançar a integração sul-americana para consolidar o desenvolvimento'.

A entrevista a sós entre os dois será no dia 10 de setembro. Também a inaugurarão juntos uma nova UPA – Unidade de Pronta Atenção, centros de atenção médica que a Província de Buenos Aires vem instalando, semelhantes aos que estão sendo feitos no Brasil. O governador da Província e candidato presidência da Frente para […]

CARTA MAIOR

O ministro do MRE, Mauro Vieira e a  presidenta Dilma Rousseff, durante a cerimônia de formatura da turma Paulo Kol do curso de formação do Instituto Rio Branco (Antônio Cruz/Agência Brasil)

Dilma: ‘Brasil só será respeitado no mundo se a soberania popular for respeitada’

Segundo Dilma, a política externa não só é um instrumento de projeção do país, mas um elemento fundamental de nosso projeto nacional de desenvolvimento.

“O Estado nacional brasileiro só será respeitado no mundo na medida em que, em nosso território, se exerce e se respeita plenamente a soberania popular”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff nesta quarta-feira (12), no Palácio do Itamaraty, onde participou da cerimônia de formatura da turma Paulo Kol 2013-2015, do Instituto Rio Branco, e da condecoração aos primeiros colocados da turma com insígnias da Ordem do Rio Branco. Paulo Kol era jornalista e professor do Instituto Rio Branco e faleceu neste ano.

ANSUR

20130731_cadtm1

Banco do Sul promoverá bom uso de recursos naturais

Especialistas reunidos pela organização regional buscam identificar espaços de cooperação financeira e monetária entre os países sul-americanos

A consolidação do Banco do Sul e a gestão do dinheiro proveniente da exploração de recursos naturais possibilitarão geração de conhecimento na região, segundo convergiram os especialistas que participaram da Conferência Internacional de Financiamento para Soberania Regional do Conhecimento, realizada em Quito. O encontro, organizado pela Unasul e a Comissão Técnica Presidencial para a Nova […]

MERCOSUL

be15f6d4-cb40-4ec7-a121-aa05820f4550

Mercosul: dificuldades e poucos avanços

O contexto de crise de alguns países impede o prosseguimento da integração regional

Seria prudente aguardar algum tempo para analisar o resultado da 48ª (...)

INTEGRAÇÃO REGIONAL

46b083ac-92de-422a-91c3-7fd6c4c17e35

Mercosul para os povos?

A Alca morreu, mas a estrada para o neoliberalismo ortodoxo segue aberta e precisa ser contestada

Se a 18ª Cúpula Social do Mercosul realizada em Brasília entre os dias 14 e 16 de julho de 2015, dez anos após a derrota da Alca, fosse uma estrada, o local (...)