sexta, 20 de outubro de 2017

Brasil no Mundo

Contribuições para a Política Externa Brasileira

receba a newsletter

busca no site

POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA

Brasília - Senador Aloysio Nunes durante sessão deliberativa (José Cruz/Agência Brasil)

Política externa golpista repete os piores erros do passado

Conduta de Serra, levada adiante por Aloysio Nunes, tem como marca a submissão a interesses estrangeiros e o apoio ativo a forças antidemocráticas

Os políticos golpistas instalados no poder em 2016 estão reeditando ...

VENEZUELA

Almagro-Aloysio: pacto espúrio para desestabilizar a Venezuela

Itamaraty oferece a Almagro palanque pró eleições na Venezuela. No mundo da pós-verdade, palavras ressonaram como se estivesse no berço da democracia

A visita do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, ao Brasil na última segunda-feira 10 acrescenta um capítulo tragicômico na sua trajetória pessoal e na tristemente célebre história de intervenções da OEA para “garantir a democracia” na região. Depois de o Brasil desembolsar U$18 milhões para a OEA e tentar garantir assim a eleição de Flávia Piovesan para um (...)

AMÉRICA LATINA

Segmento oficial de la VII Cumbre de la Asociación de Estados del Caribe.
Foto: Ismael Francisco/ Cubadebate

Venezuela: “Que tipo de ditadura é essa que perde eleições?”

entrevista com Pedro Bocca

Estamos passando por um período de ofensiva conservadora na América Latina. Os fatos de cada país não são isolados e estão intimamente ligados no plano regional. Assim, pode-se desenhar uma rede que conecta (...)

Carta Capital

1926179_962572870425191_5195251255486825236_o

A encruzilhada de um Mercosul sem consenso

Mais que uma crise econômica e política, o Mercosul passa por uma crise de democracia, que desafia governos e organizações a dialogar sobre os caminhos que o bloco tomará

Sem se valer de teorias e conceitos, de forma simples, entende-se que consenso é quando duas ou mais partes chegam a um ponto em comum, numa determinada negociação sobre algum tema.

ALAINET

alx_jose-serra-fhc-uruguai-20160706-001_original

A crise da democracia no Mercosul: legalidade, confabulações e mentiras

Hoje sopram ventos de violação da democracia, instabilidade e pressões internas e externas para um realinhamento para a direita no bloco

O Mercosul caminha cambaleante para o final deste mês, quando a Venezuela deveria receber do Uruguai a presidência pro tempore do organismo de integração regional, tal como estabelecem os (...)

ALAINET

27460498702_6b581066e1_k

Mercosul: O problema é o Brasil e a vendetta paraguaia, não a Venezuela

Adiar a passagem da presidência pro tempore para a Venezuela desrespeita duplamente o Tratado de Assunção

O chanceler interino do Brasil, José Serra, exigiu em Montevidéu ao presidente uruguaio Tabaré Vázquez, e ao seu chanceler Rodolfo Nin Novoa, suspender a passagem da presidência pro tempore do Mercosul para a Venezuela.

VENEZUELA

venezuela1-e1456265634256

É a derrocada do Bolivarianismo?

Entrevista com Gilberto Maringoni

A queda vertiginosa do preço do petróleo teria sido o principal fator a asfixiar a economia e a sociedade da Venezuela, diz com exclusividade ao Diário da Manhã, o doutor em História Social pela (...)

AMÉRICA DO SUL

O empresário Mauricio Macri, 56 anos, é o novo presidente da Argentina. Atual prefeito de Buenos Aires, ele é ex-presidente do clube Boca Juniors e líder de uma frente de centro-direita opositora do atual governo de Cristina Kirchner. Macri foi eleito neste domingo (22), na primeira vez na história do país em que uma eleição presidencial foi decidida no segundo turno, e vai governar por quatro anos. Ele irá assumir a presidência no dia 10 de dezembro deste ano.

América do Sul: uma guinada à direita?

Entrevista com André Calixtre

“Não é mais possível ignorar as classes populares. Então, todo o processo de mudança radical na política, dentro de uma democracia, terá de considerá-las”, diz o economista.

AMÉRICA LATINA

Os presidentes do Mercosul durante a cúpula do bloco, no último dia 21.  Foto: reprodução

“A esquerda reduziu a pobreza na América Latina”

Entrevista com Marcelo Zero

Para o sociólogo e especialista em relações internacionais, Marcelo Zero, os governos de esquerda latino-americanos promoveram crescimento econômico com inclusão social e (...)

BRASIL DE FATO

04-11-05 Mar del Plata: Foto Oficial de la IV Cumbre de las Americas.

Resistência ao domínio gringo é uma luta que vem de longe

Numa situação em que os governos progressistas do Brasil e da Venezuela enfrentam sérias dificuldades, o imperialismo retoma a ofensiva, com a Parceria Trans-Pacífico.

Na longa história da resistência dos movimentos sociais da América Latina às investidas do imperialismo, nenhuma campanha teve tanta importância, pelos seus resultados, quanto à mobilização continental contra a implantação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). Essa campanha, que alcançou a vitória em 2005 com a rejeição da Alca na reunião de cúpula de Mar del Plata, impediu que os países latino-americanos fossem empurrados de volta a uma condição neocolonial, anulando todos os esforços de desenvolvimento econômico e social no século XX e inviabilizando qualquer projeto de avanço para o futuro.